Clamídia: pode causar infertilidade?

As doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) causam grande preocupação em função dos prejuízos que provocam para a saúde orgânica e também para o aparelho reprodutor. Muitas delas causam lesões ou sequelas que levam à infertilidade, tanto de homens como de mulheres.

Uma dessas doenças é a Clamídia que, apesar de ser bastante recorrente, ainda é desconhecida por uma boa parcela da população. Isso se dá por causa da ausência de sintomas na maioria dos casos.

Mas será que a Clamídia também pode causar infertilidade? Preparamos este artigo para responder essa pergunta com o intuito de esclarecer um pouco mais sobre essa doença e os prejuízos que ela pode trazer. Continue lendo e saiba mais sobre esse assunto.

A Clamídia e seus sintomas

Diversas doenças recebem a classificação como sexualmente transmissíveis, ou seja, são adquiridas principalmente por causa do contato íntimo desprotegido durante as relações sexuais.

No caso da Clamídia, essa DST é causada pela bactéria Chlamydia trachomatis, que pode ser contraída tanto por mulheres como por homens. Quando instalada no organismo ela desencadeia infecções no colo uterino, nas tubas uterinas, na vagina, na uretra, ânus e também nos olhos.

No entanto, o maior problema dessa DST é o fato de que na grande maioria dos casos a pessoa que contraiu não manifesta sintomas. Ou seja, a Clamídia é uma doença silenciosa, mas que ao mesmo tempo se não receber tratamento provoca diversas complicações para a vida reprodutiva dos homens e das mulheres.

De toda forma, nos casos em que ela manifesta sinais podem ser percebidos os seguintes sintomas:

  • incômodo ou dor durante as relações sexuais;
  • dor na região pélvica;
  • sangramento fora do período menstrual;
  • ardência ao urinar;
  • sensação de queimação no ânus;
  • corrimento ou sangramento pelo ânus;
  • corrimento uretral ou vaginal escuro e mal cheiroso.

Outro grande problema para identificação da Clamídia é o fato de que a bactéria não é detectada por exames ginecológicos de rotina, como o Papanicolau. É necessário um procedimento específico para investigação dessa doença. Outros meios pelos quais ela pode ser diagnosticada é no exame de urina, fertilidade, sangue ou secreção da região genital.

A fertilidade e a Clamídia

Como a bactéria causadora da Clamídia desencadeia infecções em todo o aparelho reprodutor feminino, existe a possibilidade de ela causar infertilidade. Inclusive, essa doença é uma das principais causas desse problema.

No entanto, é importante saber que é possível combater essa DST por meio de medicamentos. A principal questão é conseguir identificar esse problema para que ele seja devidamente tratado até se obter a cura definitiva.

É fundamental ressaltar que tratar a Clamídia é importante porque quando o quadro evolui para condições mais graves acontece o abscesso intra-pélvico. O tratamento para esse problema é feito por cirurgia, mas mesmo após essa intervenção pode acontecer a obstrução tubária, nesse caso, a mulher pode não conseguir engravidar.

O tratamento da Clamídia

Como dito, depois de devidamente diagnosticada a Clamídia pode ser tratada e isso é feito por meio de antibióticos, quando o quadro ainda não está grave. Se não houver prejuízos para o aparelho reprodutor feminino é possível que a mulher engravide depois de se curar da doença

Lembrando que é fundamental que a bactéria realmente seja eliminada, porque existe a chance de transmissão para o bebê, inclusive durante o parto. Mas quando a doença é combatida a mulher consegue ter uma gravidez normal, sem riscos para ela ou para a criança.

Em função de todos os problemas que a Clamídia pode trazer para a fertilidade, apesar de ter tratamento, o ideal é fazer a sua prevenção que, aliás, é realizada da mesma forma do que para outras DSTs. O uso de preservativo é a única forma de evitar a contaminação, e não se esqueça de regularmente consultar um médico ginecologista para fazer um checkup.

Diversas doenças podem interferir na fertilidade, dificultando ou até mesmo impedindo a gravidez por vias naturais. Sendo assim, procure manter relações sexuais com preservativo e, quando estiver em um relacionamento estável, investigue toda a saúde do casal para ter certeza de que nenhum dos dois é portador de algum problema.

Assim ficará mais fácil realizar o sonho de construir uma família, evitando que doenças como a Clamídia venham atrapalhar esses planos. E lembre-se de que ao perceber sinais ou sintomas um especialista deve ser consultado.

Entre em contato

Doutor Armindo Dias Teixeira
Médico ginecologista formado pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e especialista em medicina reprodutiva e cirurgia minimamente invasiva.

Dr. Armindo
Dias Teixeira


CRM 45547

Rua Afonso Braz, 656 - conj. 21
Vila Nova Conceição - São Paulo - SP
CEP: 04511-001

contato@doutorarmindo.com.br

11 3045-5205
11 3045-2391
11 3848-0014

WhatsApp Entre em contato via Whatsapp