Colposcopia

O que é a Colposcopia?

O aparelho reprodutor da mulher é complexo e delicado, por isso, precisa ser monitorado com frequência para verificar a possível presença de anomalias.

Procedimentos como a Colposcopia ajudam o médico a analisar melhor a paciente, pois possibilitam visualizar o que se passa dentro do corpo, avaliando minuciosamente a vulva, a vagina e o colo do útero.

Isso porque é utilizado um equipamento que amplia as imagens em diversas vezes, facilitando ao médico visualizar, até mesmo, os menores sinais de problemas. Com a Colposcopia é possível diagnosticar inflamações e doenças como o câncer de colo de útero ou o HPV.

Embora seja um procedimento que permite observar a parte interna do corpo, a Colposcopia é indolor. Ela pode gerar um certo desconforto para a mulher, e talvez uma ligeira sensação de ardor, caso o médico utilize produtos para melhorar a visibilidade da vagina e do colo do útero.

Esse exame é indicado para mulheres que são sexualmente ativas. No procedimento, é necessário introduzir o espéculo na vagina para manter o canal aberto. No caso de meninas e mulheres virgens, o médico costuma indicar a Vulvoscopia.

Mulheres grávidas podem ser submetidas à Colposcopia, porque o exame não oferece nenhum risco para o bebê e nem para a mulher. Porém, se for necessário algum tratamento, talvez seja preciso esperar o parto para então dar início a ele.

Indicação de Colposcopia

Não é comum que o médico solicite a Colposcopia para todas as mulheres. Normalmente, ela é solicitada quando há alguma alteração no exame de Papanicolau. Neste caso, como existe a chance de alguma doença, é feita então uma análise mais minuciosa, para se obter um diagnóstico preciso e conhecer ao certo o quadro da mulher.

Assim, sempre que o exame de rotina apontar a possibilidade de células cervicais anômalas, o médico realiza a Colposcopia, que pode ser feita no consultório. Outros casos que requerem análise mais detalhada do aparelho reprodutor, são o resultado positivo do teste de HPV, e positivo para genótipos de HPV 16 e 18, que apresentem ou não alterações celulares.

A Colposcopia ainda é um método insubstituível para o diagnóstico e tratamento de algumas doenças do trato genital feminino. Por meio dela, o médico pode diagnosticar precocemente as células que desenvolveriam um câncer.

Como funciona a Colposcopia?

Como dito, a Colposcopia não é um exame doloroso e trata-se de um procedimento simples. Ela pode ser feita apenas para observação e análise, como também o médico realizar a captura de imagens e ainda coletar amostras para biópsia.

As variações do procedimento ocorrem em função da necessidade de cada paciente, e dos registros e análises que o médico precisa para iniciar o tratamento. De toda forma, ele não varia na maneira como será realizado e nem na preparação da mulher.

Para fazer esse exame, é necessário que ela não esteja menstruada, e recomenda-se evitar relações sexuais dois dias antes do exame. Também deve ser evitado o uso de absorventes internos, duchas vaginais, cremes, comprimidos e pomadas. O ideal é que ela tenha em mãos o resultado do último Papanicolau.

Para iniciar o procedimento, é preciso que a mulher esteja despida das roupas da parte inferior do corpo, esteja deitada na maca e com as pernas afastadas. O médico então introduz o espéculo no canal vaginal para poder visualizar o colo do útero.

Para ampliar as imagens é utilizado o colposcópio, um equipamento semelhante a um binóculo, que consegue ampliar de 10 a 40 vezes o foco. Ele é posicionado em frente à mulher para observação de seu aparelho genital.

Como citado, para facilitar a identificação de alterações e anomalias, o médico pode utilizar produtos específicos no colo do útero. Eles causam ligeiro ardor, mas são necessários para fazer um exame preciso.

Se necessário, o médico faz a coleta do material para encaminhar ao laboratório e realizar a biópsia. Trata-se apenas de uma pequena amostra, que não causa cortes ou dores na mulher.

Também é nesse momento que ele faz o registro das fotografias, se houver necessidade de anexá-las no relatório final. Todo esse material irá compor o exame de Colposcopia, e servirá como base para análise e diagnóstico do caso.

Não é preciso que a mulher receba anestesias, e também não requer internação ou observação. Ela pode seguir para suas atividades após a realização do exame, e basta apenas aguardar o resultado para encaminhar ao médico.

A Colposcopia é um exame importante que a mulher precisa realizar quando o médico solicita, além de ser uma ótima maneira de identificar problemas ainda no começo, para iniciar o tratamento adequado o quanto antes e evitar complicações para a saúde.

Dr. Armindo
Dias Teixeira


CRM 45547

Rua Afonso Braz, 656 - conj. 21
Vila Nova Conceição - São Paulo - SP
CEP: 04511-001

contato@doutorarmindo.com.br

(11) 3288-5282

WhatsApp Entre em contato via Whatsapp