A endometriose tem cura?

Toda pessoa que apresenta algum tipo de distúrbio, doença ou outro problema de saúde deseja mais do que tudo ser curado. E com as mulheres que desenvolvem a endometriose isso não é diferente.

Essa doença pode reduzir muito a qualidade de vida da mulher se não for tratada, porque provoca muitas dores e desconfortos, além de poder ocasionar também a infertilidade feminina.

Mas entre os tratamentos para endometriose, será que existe algum capaz de eliminar o problema definitivamente? É sobre isso que vamos conversa neste post e você entenderá se a endometriose pode ou não ser curada.

O maior desafio da endometriose para os profissionais

Pela lógica dos tratamentos médicos, para se obter a cura de uma doença é preciso conhecê-la. Aqui inclui-se os seus sintomas, que parte do corpo afeta, problemas que pode ocasionar e seus agentes causadores.

Essa última questão é o grande desafio dos profissionais quando o assunto é endometriose. Isso porque não se sabe ao certo o que leva o tecido endometrial a crescer fora do útero. Então, sem conhecer ao certo essa causa é difícil eliminá-la e obter a cura de fato.

Especula-se que a endometriose possa ser causada pelo fluxo menstrual que retorna e leva células do endométrio para fora da cavidade uterina. Também teoriza-se que essas células possam ser transportadas pelo sistema linfático. Mas ainda não há comprovações de  tudo isso.

O que se sabe é como o tecido se comporta, locais onde pode desenvolver-se, como reduzir o seu crescimento e maneiras de extrair o tecido. Essas intervenções ajudam a reduzir os sintomas, mas nem sempre levam à cura.

O tratamento da endometriose

É sempre importante lembrar que a endometriose é uma doença que varia de mulher para mulher. Ela pode ser mais ou menos grave, afetar essa ou aquela parte do corpo, interferir ou não na gravidez e assim por diante.

Estamos falando sobre isso porque assim como a doença varia o seu tratamento também, e as mulheres tratadas podem ou não apresentar reincidência da endometriose. Assim, em alguns casos ela pode ser eliminada, em outros não.

O tratamento da endometriose envolve tanto o uso de medicamentos para inibir a formação do endométrio, como cirurgias para remover os focos do tecido fora do útero. Então, enquanto sob terapia medicamentosa a mulher não apresenta sintomas da doença.

No caso da cirurgia ela pode ser muito bem sucedida, com eliminação total dos tecidos. Em alguns casos ele não volta a crescer no local errado, em outros a doença pode reincidir e a mulher volta a ter os sintomas de antes.

Os sucesso da cirurgia depende de fatores como a possibilidade de visualizar todos o focos do tecido endometrial e a habilidade do médico para retirar todos eles. Mas como não se sabe porque ao certo o endométrio desenvolve fora do útero, então, sem eliminar o agente causador ele pode voltar a crescer.

De toda forma, ainda que a mulher não consiga se curar da endometriose ela pode ter qualidade de vida, já que há tratamentos eficazes para reduzir e controlar os sintomas. E ainda é preciso saber que diagnosticar a doença ainda no começo evita que ela se grave e as consequências que isso pode trazer.

Qualidade de vida com endometriose

O grande problema da endometriose para a mulher é o fato de afetar significativamente sua qualidade de vida, como dito. Ela também pode atrapalhar os planos da maternidade, e por isso, é importante que a mulher receba um diagnóstico antes de a doença desenvolver demais.

Essa questão é importante para que ela receba o devido tratamento, a fim de evitar que o endométrio tome grandes proporções fora do útero, e venha comprometer as trompas e ovários. Afinal é possível conviver com a endometriose recebendo o tratamento ideal em cada caso.

Conhecer as causas reais da endometriose é uma questão importante para desenvolver tratamentos mais eficazes, que levariam à cura definitiva para todas as mulheres. Por hora, ela pode ou não ser uma realidade, mas a qualidade de vida e o bem-estar podem ser mantidos.

Doutor Armindo

Ginecologista e especialista em reprodução humana

Entre em contato

Doutor Armindo Dias Teixeira

Médico ginecologista formado pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e especialista em medicina reprodutiva e cirurgia minimamente invasiva.