Infecções urinárias durante a gravidez

A infecção urinária é um problema muito comum durante a gravidez que, no entanto, pode acabar passando despercebido. Porém, em especial quando a gestação está no último trimestre, é muito importante ter cuidado com esse quadro porque pode causar complicações.

Por ser tão recorrente e em função das dúvidas que ainda existem, preparamos este artigo com algumas perguntas e respostas com o intuito de esclarecer pontos importantes. Continue lendo para saber como se cuidar melhor durante a gravidez.

O que é a infecção urinária?

Também chamada de cistite, a infecção urinária é uma disfunção provocada pela presença de bactérias no aparelho urinário. Na maioria dos casos elas são provenientes da flora intestinal sendo comumente provocada pela bactéria Escherichia coli.

Por que a infecção urinária é comum entre mulheres grávidas?

A infecção urinária é comum entre mulheres porque a uretra é mais curta no organismo feminino, o que facilita a entrada de organismos no aparelho urinário. No caso das grávidas existe maior possibilidade de a infecção acontecer porque a gestação provoca um aumento da umidade vaginal, o que facilita a migração das bactérias do ânus para a uretra.

Além disso, por causa do volume do útero ocorre uma compressão das vias urinárias, então, acontece de o líquido ficar acumulado no canal. Como a urina contém bactérias, essa condição facilita a infecção.

Em qual etapa da gestação acontece a infecção urinária?

Esse problema pode acontecer em qualquer momento da gravidez, no entanto, o problema costuma ser mais comum na segunda metade da gestação. Mas é no último trimestre que essa condição exige ainda mais cuidado e atenção.

Porque a infecção urinária é mais perigosa nos meses finais da gestação?

Em todas as etapas da gravidez, quando ocorre infecção urinária, é fundamental que a mulher receba o devido tratamento. No entanto, no último trimestre de gestação esse quadro exige atenção redobrada porque pode levar ao trabalho de parto prematuro.

Essa complicação acontece porque a bexiga tem uma proximidade muito grande com o útero, sendo assim, quando a infecção urinária está instalada e não é tratada as bactérias liberam substâncias que provocam contrações uterinas estimulando o trabalho de parto.

Por que as grávidas têm dificuldade para identificar a infecção urinária?

O principal sintoma da infecção urinária é o aumento da frequência de idas ao banheiro. No entanto, a compressão que o útero provoca sobre a bexiga ocasiona esse sintoma também na gravidez, sendo natural que as gestantes urinem mais vezes. Por isso, elas podem ter dificuldade para identificar essa manifestação inicial do problema.

Quais são os sintomas que a infecção urinária provoca?

Além do aumento da vontade de ir ao banheiro a infecção urinária provoca outros sintomas e a mulher grávida precisa estar atenta a eles, já que ajudam a identificar essa condição quando há dúvidas. São eles:

  • sensação de bexiga cheia;
  • alteração da cor e odor da urina;
  • sensação de peso no baixo ventre;
  • dores, desconforto ou ardência ao urinar;
  • febre;
  • dor na região lombar, próximo aos rins.

Como diferenciar a infecção urinária de uma infecção vaginal?

A gestante também pode ter dificuldade para identificar a infecção urinária se ela apresentar infecções vaginais como a candidíase. Entretanto, existem diferenças entre essas duas condições e elas podem ser diferenciadas pela ardência na hora de urinar.

Quando se trata de uma infecção vaginal esse incômodo acontece quando o fluxo da urina já está terminando, e no caso da infecção urinária, a dor é constante.

Como infecção urinária é tratada na gravidez?

Assim como para outras mulheres, as gestantes que apresentam quadro de infecção urinária são tratadas com medicação antibiótica. A substância deve ser receitada por um médico para que seja escolhida aquela que não venha causar prejuízos para a gravidez e nem interfira no desenvolvimento do bebê.

Como prevenir a infecção urinária?

A infecção urinária pode ser prevenida com algumas medidas simples, necessitando apenas de certos cuidados que a própria mulher precisa ter. Veja quais são eles:

  • beber bastante água para aumentar a produção de urina;
  • evitar ficar segurando o xixi;
  • urinar após as relações sexuais;
  • fazer a higiene pessoal adequadamente, limpando-se sempre da frente para trás;
  • evitar permanecer com peças íntimas molhadas por muito tempo;
  • preferir calcinhas de algodão;
  • se possível, permanecer alguns momentos sem a calcinha para deixar a região íntima ventilar.

Nenhum quadro de infecção é positivo, muito menos durante a gestação. Por isso, a mulher grávida precisa ficar atenta aos sinais que seu corpo emite e, em caso de dúvidas, sempre consultar o seu médico. Dessa forma terá uma gravidez saudável preservando a sua saúde e também a do bebê.

Entre em contato

Doutor Armindo Dias Teixeira
Médico ginecologista formado pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e especialista em medicina reprodutiva e cirurgia minimamente invasiva.

Dr. Armindo
Dias Teixeira


CRM 45547

Rua Afonso Braz, 656 - conj. 21
Vila Nova Conceição - São Paulo - SP
CEP: 04511-001

contato@doutorarmindo.com.br

11 3045-5205
11 3045-2391
11 3848-0014

WhatsApp Entre em contato via Whatsapp